Diástase abdominal: o que é e como tratar

por | out 13, 2020 | Uncategorized | 0 Comentários

O nome é difícil, mas é muito simples identificar quando o corpo passa por esse problema: grávidas acabam sofrendo um aumento na região abdominal, o que gera flacidez por um longo período se não houver cuidado no pré, durante e pós gravidez. 

Até mesmo fora do período de gravidez é possível ter a diástase: quando existe um esforço excessivo, diário da região abdominal, também pode haver um aumento grande, principalmente quando envolve uma falta de cuidado na alimentação e nos exercícios, criando uma gordura na mesma região.

Hoje vamos falar dessa diástase, que envolve pouca gordura abdominal mas muito aumento da região por esforço ou gravidez. É um aumento que incomoda, mas que também pode ser perdido com dedicação e mudança de hábitos. O impacto pode ser menor quando há uma preocupação anterior.

O abdômen normal e com diástase

Para entender se a diástase permaneceu, serão necessários exames de imagem para verificar o afastamento dos órgãos e aumento abdominal. Existem vários tipos de diástase. O primeiro sinal, é a flacidez extrema na região abaixo do umbigo. Um abdômen normal pode até ser avantajado, mas diferente do que acontece na diástase, ele não vai ser flácido e pode ser perdido com uma dieta em baixa gordura..

Como tratar a diástase?

É possível evitar tanta distensão abdominal antes mesmo da barriga começar a crescer por causa da gravidez. Também existem maneiras de prevenir qualquer aumento na região da barriga com muita dedicação e disciplina. Veja como:

Dieta e reeducação alimentar

Tente seguir uma alimentação correta durante a gravidez. Assim que ficar sabendo, ou seja, com poucas semanas de gestação procure um profissional que indique qual a rotina alimentar ideal para seu caso, sem esquecer dos nutrientes necessários para que a diástase abdominal não seja tão prejudicial e te acompanhe por muito tempo.

Exercícios físicos regulares

Sabemos que em uma gravidez é hora de pegar mais leve em relação a intensidade do exercício. Pilates, musculação leve e caminhadas de baixo impacto podem ser feitas para que a região abdominal não fique tão grande e se ficar, tenha como retomar rápido ao que era. 

 

Fisioterapia

Existem exercícios na fisioterapia que ajudam na contração dos músculos, claro, com orientação de um profissional na área. Equipamentos como o FES, por exemplo, podem ser feitos até 20 minutos e fortalecem o abdômen. Quando mais ele for acompanhado durante a gestação, melhor para evitar a sobra de pele, independente do tipo e parto.

Atenção à postura

 Tanto na gravidez quanto em casos que a diástase acontece de outras maneiras, ficar sempre de olho na postura ao sentar, caminhar e em outros momentos. Um corpo acostumado a certas posturas, principalmente quando o abdômen é forçado constantemente, pode sofrer com gorduras e região avantajada.

Foque nos exercícios abdominais

Não esqueça de focar em abdominais, flexões, pranchas, entre outros exercícios dessa região. Aliar isso a um bom “cardio”, como corridas, esteira ou pular corda, vai ajudar muito no pós-parto ou até mesmo na busca daquela barriga durinha. Além do mais, melhorar isso vai ajudar em outras coisas, como dores na coluna e seios flácidos.

 

Conclusão

A diástase abdominal, por mais que seja muito comum, pode ser evitada ou tratada sem cirurgias. O problema é que a região do abdômen costuma concentrar mais gordura, então só dedicação e disciplina em uma dieta e em exercícios focados vai te ajudar a voltar ao normal neste caso. Não dispense profissionais da área e comece hoje a melhorar sua estética e saúde. 

Existem muitos programas de treino de abdômen em nosso app. Conheça agora!  

 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *